AL-MA contrata buffet por R$ 2 milhões que inclui no cardápio tábua de frios, canapés finos e carpaccio

AL-MA contrata buffet por R$ 2 milhões que inclui no cardápio tábua de frios, canapés finos e carpaccio.

Sob comando do deputado estadual Othelino Neto, do PCdoB, a Assembleia Legislativa do Maranhão (AL-MA) vai torrar cifras milionárias com serviços de buffet.

De acordo com extrato de contrato publicado no Diário Oficial do Estado (DOEMA), o parlamento estadual vai gastar a bagatela de R$ 2 milhões com café da manhã, coquetel, coffee break e refeições do tipo almoço/jantar em eventos institucionais.

Estão incluídas ainda a locação de espaço físico, mesas e cadeiras, na capital e no interior do Estado.

A empresa detentora do mega contrato é C.R.F Gaspar Locações e Eventos Eireli, de propriedade da empresária Cláudia Fernanda Rêgo Gaspar.

Segundo apurou a reportagem do BLOG, o cardápio fornecido pelo buffet deve incluir vários tipos de regalias, entre elas canapés finos variados, voul-au-vant de camarão, camarão com catupiry, voul-au-vant de bacalhau, profiteroles, coxinha goumet, bolinho de bacalhau e até carpaccio.

O cardápio inclui ainda tábua de frios com extensa variedade: queijos prato, mussarela, queijo branco fresco, ricota, tomate seco, presunto de peru defumado, presunto de peru light, salame, blanquet de peru, biscoitos variado (amanteigados, água e sal, chocolate), mini sanduíche natural, mini pizza, mini canapés, cestos de pães variados, patês de presunto, frango, queijo e peito de peru.

Os eventos do legislativo também devem contar com opções de refeições que incluem dois tipos de saladas, arroz de cuxá, à grega, brocolis, couve, opções de massas (fusilli, lasanha, ravióli ou rondele), pratos quentes (peixe, frango, carne, e peru), além de bebidas e sobremesas variadas (mousse de maracujá, bacuri, cupuaçu, chocolate, limão e pudim de leite).

Ainda de acordo com o contrato, a assembleia prevê gastos de R$ 1,4 milhão em eventos em São Luís e pouco mais de R$ 600 mil no interior do Estado. O prazo de vigência do contrato é de 12 meses, o que, se dividido, corresponde a mais de R$ 160 mil por mês.

O que chama atenção no entanto, é que a licitação ocorreu mesmo diante do cenário de extrema dificuldade e pobreza vivida pelos maranhense neste período de pós-pandemia. O pior é que tudo acontece nas ‘barbas’ do Procurador-Geral de Justiça Eduardo Nicolau, que aparenta se fingir de cego, surdo e mudo para às atrocidades cometidas pelo presidente Othelino Neto.

Extrato de contrato revela gasto absurdo com buffer na AL-MA, veja abaixo:

Anteriores

Polícia apreende grande quantidade de anabolizantes que seriam vendidos em São Luís

Próximo

Dino vai ao MPF sobre comentário transfóbico de Roberto Rocha

  1. antonio ricardo de souto

    ENQUANTO ISSO SERVIDOR ESTA A 6 ANOS SEM REAJUSTE DE SALARIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén