Após segunda vistoria, ferryboat trazido do Pará continua sem autorização para operar no Maranhão

Após segunda vistoria, ferryboat trazido do Pará continua sem autorização para operar no Maranhão.

A segunda vistoria realizada no ferryboat José Humberto, da empresa contratada pelo Governo do Maranhão para fazer a travessia da ilha para a região da baixada, aponta que a embarcação continua sem condições de navegar na baía de São Marcos. 

A vistoria, que foi feita pelo Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Maranhão (MP-MA), no dia 20 de junho, constatou discrepâncias na documentação e também na própria estrutura da embarcação. A Capitania dos Portos aguarda a correção desses problemas para realizar uma nova vistoria.

A embarcação José Humberto chegou a São Luís, vinda do Pará, no dia 31 de maio. Na época, foi anunciado nas redes sociais, pelo governador, agora licenciado, Carlos Brandão (PSB), como um ferry de ‘alto padrão’, mas, logo em seguida, as autoridades verificaram que o ferry não tinha condições de fazer a travessia entre São Luís e a região da baixada.

Em uma primeira vistoria feita pela Capitania dos Portos, que faz parte de um inquérito civil aberto pelo Ministério Público Estadual, constava uma lista grande de documentos pendentes da embarcação. Além de uma lista de problemas estruturais, como: vigas de sustentação do convés principal, que apresentaram deformidades; fios desencapados e fissuras no casco; as rachaduras, segundo o inquérito, estariam em uma parte enferrujada do ferry.

O ferry  ‘José Humberto’ pertence à empresa Nacon, do Pará, que, segundo as investigações do Ministério Público Estadual, acompanhadas pelo MPF, trabalha com balsas fluviais e não com ferrys para regiões de mar, com o é o caso de São Luís.

“É uma embarcação que não foi feita, a princípio pra navegar em mar aberto. Então, tá sendo feita uma adaptação nessa embarcação, desde que chegou aqui no Maranhão pra que ela se adapte às condições nossas, porque a realidade do estado do Pará é pra navegabilidade em rio. Então, nossa situação é bem diferente. A preocupação do Ministério Público Estadual e Federal é exatamente com relação a essas adaptações atenderem às normas técnicas e oferecerem a segurança que nós esperamos para esse tipo de serviço”, analisa Anne Caroline Neitzke, procuradora da República.

Ainda segundo o Ministério Público, esse mesmo ferry já havia sido alugado pela empresa Celte Navegação, também do Pará, que ganhou a licitação para operar com ferrys em São Luís, mesmo sem possuir nenhuma embarcação, e acabou tendo o contrato cancelado porque não apresentou o ferry no prazo devido.

A empresa ganhou a concorrência porque a Servporto, empresa que operava com três ferrys, sofreu uma intervenção do governo do Estado em 2020, sob a alegação de que os serviços prestados estavam ruins, causando transtornos para a população.

Mas sob a intervenção do governo do Maranhão, os ferrys foram sucateados e, até hoje, estão encostados, quebrados e sem previsão de conserto. Apenas a empresa Internacional Marítima, outra concessionária que já operava na travessia, manteve os ferryboats em funcionamento, mas com apenas três embarcações, incapazes de atenderem à demanda.

MP pede suspensão de São João estimado em R$ 1,9 milhão em Presidente Dutra

Prefeito Raimundinho da Audiolar na mira do MP.

O Ministério Público do Maranhão, por meio da Promotoria de Justiça de Presidente Dutra, ajuizou Ação Civil Pública, nesta segunda-feira, 27, para suspender a realização de evento festivo orçado em R$ 1.914.850,00, marcado para ocorrer até o dia 2 de julho no município. Entre as atrações programadas está o artista Matheus Fernandes, cujo show está marcado para esta terça-feira, 28, resultando em custo de R$ 150 mil aos cofres públicos, apenas para o pagamento do cachê do artista.

Na Ação, em face do Município e do prefeito Raimundo Alves Carvalho, o promotor de justiça Clodoaldo Nascimento Araújo requer a concessão de liminar para suspender/cancelar, de imediato, a realização dos shows dos artistas que serão contratados e dos serviços necessários para as apresentações (montagem de palco, som, iluminação etc.), bem como determinar aos requeridos que não promovam qualquer pagamento decorrente dos contratos, caso sejam firmados para a festividade do São João, inclusive gastos acessórios como montagem de palco especial, iluminação, som, recepção, alimentação, hospedagem, abastecimento de veículos de artistas ou pessoal de apoio, dentre outros.

Ainda de acordo com a Ação, diante da divulgação do evento nas mídias sociais, o MPMA instaurou Notícia de Fato e emitiu Recomendação no último dia 15, cuja resposta foi no sentido de não acatamento do recomendado. Também foram solicitados documentos dos eventos de São João 2022, especialmente licitações, contratos e empenhos.

O promotor de justiça justifica na Ação “o fato de ser público e notório que o município de Presidente Dutra vem enfrentando grande precariedade nos serviços de saúde, educação, infraestrutura, saneamento básico, dentre tantos outros essenciais, opção não restou ao Ministério Público que não a propositura desta ação para suspender o evento São João da gente, como forma de acautelar o patrimônio público e o interesse de toda a sociedade local, haja vista os gastos exorbitantes poderão chegar a R$ 1.914.850”.

OUTRAS AÇÕES

Na semana passada, a pedido do MPMA, a Justiça determinou o cancelamento de eventos que seriam realizados nos municípios de Lago Verde (termo judiciário de Bacabal), cujos gastos ultrapassariam R$ 1 milhão; e Arari, que custaria R$ 332 mil aos cofres municipais. Nos dois casos, o cantor Matheus Fernandes, conhecido no meio sertanejo, seria uma das principais atrações.

IMORALIDADE! coordenador da campanha de Dino ao senado, Othelino sobrevoa o Maranhão em jatinho particular de Eduardo DP

Coordenador da campanha de Dino ao senado, Othelino sobrevoa o Maranhão em jatinho particular de Eduardo DP.

Coordenador da campanha do ex-governador Flávio Dino ao senado, o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão (AL-MA), deputado Othelino Neto, do PCdoB, vem gozando de grandes regalias no governo e mostrando o quão imoral se tornou a política maranhense.

Uma imagem obtida pelo Blog do Maldine Vieira, por exemplo, mostra o chefe do Legislativo prestes a sobrevoar o maranhão num jatinho particular.

Até aí tudo bem. Acontece que após consulta no Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), a reportagem descobriu que a aeronave pertence a empresa Construservice Empreendimentos e Construções LTDA.

Matrícula confirma a utilização da aeronave de Eduardo DP pelo presidente Othelino.
Jatinho particular é registrado em nome da empresa Construservice, de propriedade do ex-agiota e empresário Eduardo DP.

Como é de conhecimento público, a empresa é controlada por Eduardo José Barros Costa, vulgo Eduardo DP ou Imperador, e é registrada em nome de laranjas.

Figura conhecida da polícia e com extensa ficha criminal, o ex-agiota que hoje apresenta-se como ‘empresário’ de sucesso, é recordista em contratos no governo do Estado.

Ainda segundo apurou a reportagem, DP vem atuando como uma espécie de ‘braço financeiro’ de integrantes da alta cúpula do governo.

Em maio deste ano, o hoje empresário estampou os noticiários de um dos maiores veículos de comunicação do pais, pela atuação de laranjas e os péssimos serviços executados pela empresa. (reveja).

Em outubro de 2021 este Blog já havia alertado sobre a relação promiscua entre DP e Othelino. A estreita relação entre ambos se confirma ainda mais com nomeação da esposa do empresário na própria Assembleia Legislativa do Estado (reveja), que até os dias atuais figura como funcionária sem nunca ter cumprido um dia de expediente.

CHAMEM O GAECO! por meio de Adesão de Ata, indicado de Fábio Macedo na SEDEL assina contrato de R$ 12 milhões com construtora

CHAMEM O GAECO! por meio de Adesão de Ata, indicado de Fábio Macedo na SEDEL assina contrato de R$ 12 milhões com construtora.

O Secretário de Estado de Esportes e Lazer do governo Brandão, Naldir de Jesus Vale Lopes, assinou, no último dia 2 de junho, contrato milionário com uma conhecida construtora.

Sob comando da SEDEL há pouco mais de dois meses, Naldir Vale é indicação do deputado estadual e pré-candidato a deputado federal Fábio Macedo, do PODEMOS.

De acordo dados obtidos pelo Blog do Maldine Vieira, o secretário celebrou R$ 12 milhões com a construtora Qualitech Engenharia LTDA. A construtora pertence a família do advogado Fred Campos, amigo pessoal de Fábio Macedo.

Segundo apurou reportagem do Blog, a licitação foi realizada por meio de Adesão de Ata de Registrado de Preço, daquelas onde ente público praticamente escolhe a dedo a empresa a ser contratada.

A contratação ocorre em pleno ano eleitoral e quase às vésperas de campanha, indicando para um explícito derrame de dinheiro público.

O contrato tem como objetivo a prestação dos serviços de manutenção preventiva e corretiva de espaços esportivos e tem prazo vigente de 12 meses.

Além do contrato com a Qualitech, Naldir Vale assinou ainda outros contatos de grande vulto mesmo estando há tão pouco tempo à frente da pasta, o que deve chamar atenção, sobretudo, do Grupo de Atuação de Combate a Corrupção (GAECO) e Superintendência Estadual de Prevenção e Combate a Corrupção (SECCOR).

Nas próximas o blog irá revelar, ainda, os detalhes da licitação ‘fabricada’ que culminou na contratação da Qualitech, aguardem!.

Em entrevista, Carlos Brandão explica demora em sua recuperação: ‘cada organismo tem uma reação diferente’ 

Em entrevista, Carlos Brandão explica demora em sua recuperação: ‘cada organismo tem uma reação diferente’.

Em entrevista ao quadro “Bastidores” do Bom Dia Mirante, o governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSB), explicou a demora em sua recuperação após ser submetido a uma cirurgia para a retirada de um cisto nos rinsno hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo (BP). 

Para que seja liberado, Brandão disse que os médicos estão aguardando a liberação da linfa – líquido do sistema linfático – pelo seu organismo, processo feito por meio de um dreno.

“A cirurgia foi um sucesso e foi bem sucedida. No entanto, o pós-operatório é um processo que depende de organismo para organismo. Após a operação, geralmente se coloca um dreno para drenar a linfa, que precisa ser extraída do organismo. Isso demora de três a quatro dias em condições normais, no meu caso demorou um pouco mais porque cada organismo tem uma reação diferente. É um processo mais lento, eu diria que mais do que doença é paciência. Então eles estão encontrando uma medicação para reduzir essa linfa e me liberar o mais rápido possível”, explica Brandão

Carlos Brandão também disse que ainda não há previsão para o seu retorno ao Maranhão. Por conta da cirurgia, assumiu interinamente o lugar de Brandão, o desembargador e presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA), desembargador Paulo Velten. Ele tomou posse no último dia 1º, em São Luís.

Denúncias de fraude no concurso da Assembleia Legislativa são alvo de investigação do MP

Denúncias de fraude no concurso da Assembleia Legislativa são alvo de investigação do MP.

O Ministério Público do Maranhão encaminhou ofício nesta sexta-feira, 17, ao deputado estadual Yglésio Moyses solicitando que indique local, dia e hora, considerando as prerrogativas funcionais dele, para prestar esclarecimentos sobre as denúncias de fraude no concurso para seleção de servidores da Assembleia Legislativa do Maranhão. 

O objetivo é colher informações a fim de embasar as investigações já iniciadas no dia 26 de maio, com instauração de Notícia de Fato pela 1ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa. O presidente do Poder Legislativo estadual, Othelino Neto, solicitou, na última quarta-feira, 15 de junho, por meio de ofício, providências para apurar as denúncias.

INVESTIGAÇÃO

Após o registro, na Ouvidoria do Ministério Público do Maranhão, de denúncias de candidatos narrando falhas na fiscalização das provas, irregularidades na publicidade do certame, vazamento de gabarito preliminar, utilização ilegal de celulares, suposta corrupção da entidade executora do concurso, além de provas e embalagens sem lacre, a 1ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa de São Luís instaurou investigação sobre o caso.

A Notícia de Fato foi instaurada, em 26 de maio, pelo promotor de justiça Marcos Valentim Pinheiro Paixão. Em 2 de junho, por iniciativa do procurador-geral de justiça, Eduardo Nicolau, os titulares da 2ª e 3ª Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa de São Luís, João Leonardo Sousa Pires Leal e Adélia Maria Souza Rodrigues Martins, respectivamente, foram designados para atuar conjuntamente com o titular da 1ª Promotoria de Justiça.

Em 6 de junho, o MPMA emitiu Recomendação ao presidente da Comissão de Concurso da Assembleia Legislativa do Maranhão, Eduardo Pinheiro Ribeiro, destacando que o resultado preliminar da prova objetiva foi publicado sem a indicação dos nomes dos candidatos aprovados, com a referência somente ao número de inscrição de cada um. 

No documento, os três promotores destacaram a obrigação de transparência do concurso. “A lista de aprovados sem a indicação dos nomes dos candidatos, referenciando apenas o número de inscrição de cada um, afronta o princípio da publicidade, vez que impossibilita a verificação, pelos interessados, da observância à ordem de classificação quando da convocação, essencial para a manutenção da idoneidade do concurso público”.

O Ministério Público recomendou que as divulgações dos resultados de todas as fases do certame sejam publicadas com os nomes de todos os candidatos aprovados e respectivas notas. Também foi recomendada a publicação de listas separadas, diferenciando os candidatos às vagas de ampla concorrência e as reservadas aos negros e pessoas com deficiência.

INFORMAÇÕES

No dia 26 de maio, o MPMA encaminhou ofício ao presidente do Centro Estadual de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro (CEPERJ), Gabriel Lopes, instituição responsável pela aplicação das provas, solicitando esclarecimentos sobre as denúncias. Como não obteve retorno, o Ministério Público encaminhou novo ofício, em 7 de junho, concedendo 10 dias de prazo à CEPERJ para prestar as informações.

Em 31 de maio, a Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa oficiou ao presidente da Comissão de Acompanhamento do Concurso da Assembleia Legislativa, Eduardo Pinheiro Ribeiro, solicitando esclarecimentos sobre as denúncias.

Prefeito Luciano Genésio acompanha obras de construção de estradas vicinais no povoado Vitória dos Bragas 

Prefeito Luciano Genésio acompanha obras de construção de estradas vicinais no povoado Vitória dos Bragas.

Em Pinheiro, as máquinas intensificaram o serviço de construção das estradas vicinais através do programa pró-vicinais. Na tarde desta quinta-feira, 16, o Prefeito Luciano Genésio vistoriou as obras das estradas que dão acesso ao povoado Vitória dos Bragas, o gestor estava acompanhado dos vereadores Edinildo, Paulinho Enfermeiro e da secretária de Cultura Alexsandra Koqueiro e do secretário de Obras Fernando Caminhão

“É como eu tenho dito, o trabalho que temos realizado desde o início do nosso primeiro mandato, foi acompanhado de perto por todos, tenho certeza que o povo da zona rural sentiu a diferença. Reconstruímos mais de 800 km de estradas vicinais ao longo desses 6 anos de mandato. O trabalho continua e daqui de Vitória dos Bragas as máquinas seguirão em frente cumprindo o cronograma da Secretaria de Infraestrutura”, afirmou Luciano Genésio.

O objetivo do trabalho é melhorar a trafegabilidade de veículos e pedestres que precisam usar as estradas diariamente. Esse é só o começo da reconstrução das estradas do polo de Pacas, nesse polo estão previstos mais de 100 km de benefícios. Após finalizar os serviços no polo de Pacas as máquinas seguirão para outras regiões da zona rural de Pinheiro, já está no cronograma o polo da Chapada começando por Ponta de Santana.

Justiça suspende atividade de empresas que aplicavam ’golpe do consórcio premiado’ em São Luís

Justiça suspende atividade de empresas que aplicavam ’golpe do consórcio premiado’ em São Luís.

Como resultado de pedido do Ministério Público do Maranhão, a 7ª Vara Criminal de São Luís determinou, em 27 de maio, a suspensão das atividades das empresas + Cred Soluções Financeiras (RB Financeira) e Alpha Bank Consórcio, situada em São Paulo, que atuavam na venda fraudulenta de contratos de consórcio na capital.

Proferida pela juíza Stela Braga, a decisão atende aos pedidos feitos pela titular da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de São Luís, Lítia Teresa Costa Cavalcanti, em Denúncia oferecida em 28 de março.

Além dos representantes legais das empresas, Francisco Boaes Júnior (+ Cred Soluções Financeiras Ltda) e Carlos Alberto Pires (Alpha Bank Consórcio Ltda), também foram denunciados os vendedores envolvidos nas ilegalidades Victor Hugo Lima, Derlyane Ferreira, Gabriel Silva e Camila Boaes.

COMO FUNCIONAVA

Segundo a promotora de justiça Lítia Cavalcanti, inicialmente, os consumidores eram cooptados pelos vendedores da + Cred Soluções Financeiras por meio de publicidade no Facebook ou OLX sobre oferta de veículos abaixo do valor de mercado. No anúncio, geralmente constava exigência de valor de entrada, simulando contrato de financiamento.

“O esquema consistia na oferta e comercialização enganosa de contratos simulados de consórcio como se fossem operações de financiamento, mediante pagamento de entrada. Após o pagamento, os denunciados se apropriavam dos recursos, não disponibilizavam o bem pretendido, não cancelavam o contrato e nem devolviam os valores pagos”, explica.

A aparência de credibilidade dos anúncios era dada pelo uso fraudulento de fotos de veículos que realmente estavam sendo vendidos em lojas ou anunciantes na capital. Os consumidores eram induzidos a celebrar contratos de consórcio com a Alpha Bank Consórcio, não autorizada pelo Banco Central para atuar no sistema financeiro. Depois disso, os vendedores usavam a vulnerabilidade dos consumidores para ludibriar, protelar a entrega dos bens e obter vantagens ilícitas.

Quando os consumidores solicitavam vistoria dos veículos que, em tese, estavam sendo adquiridos, os vendedores informavam que o bem já havia sido negociado, mas que possuíam outro com as mesmas características, preço e prazo de entrega, ou apresentavam “um veículo de amigo ou em uma concessionária”.

COOPTAÇÃO

Após ver no Facebook um anúncio de venda de um veículo Fiat Strada, no valor de R$ 45 mil, em setembro de 2021, uma cliente entrou em contato com a + Cred Soluções Financeiras e foi atendida pelo vendedor Victor Hugo Lima.

Ela celebrou contrato, imaginando se tratar de contrato de financiamento do veículo, pagou R$ 20,4 mil como entrada e, posteriormente, constatou que o documento era uma carta de crédito no valor de R$ 234,6 mil, do banco Alpha Bank Consórcio.

Depois do pagamento, Victor Lima informou que o contrato era um consórcio, em que a consumidora poderia ser ou não contemplada. O valor pago não foi devolvido e nem o veículo foi entregue.

Um mês após, a mesma coisa foi feita pela vendedora Derlyane Ferreira contra outra vítima, que pagou R$ R$ 5,6 mil, como entrada de uma picape Toyota Hilux 2002, no valor de R$ 42 mil, também anunciada pelas empresas no Facebook.

A segunda consumidora assinou contrato, acreditando ser um financiamento, quando, na verdade, era uma suposta carta de crédito no valor de R$ 55 mil, do Alpha Bank Consórcio. A funcionária informou à cliente que receberia o bem em 10 dias. O prazo expirou, e a empresa não entregou o veículo e nem devolveu o valor pago.

No mesmo mês, uma terceira vítima compareceu ao escritório da + Cred Soluções Financeiras e foi atendida pela funcionária Camila Boaes, que informou a consumidora sobre a suposta existência de crédito no valor de R$ 75 mil em nome da consumidora.

Para usar o crédito, deveria ser pago o valor de R$ 7,7 mil, a título de entrada. A cliente assinou contrato com a Alpha Bank Consórcio, no valor do crédito, com promessa de contemplação até o dia 10 de novembro daquele ano. Não houve contemplação da consumidora, o valor pago não foi devolvido e o contato com a empresa não foi mais possível.

SIMULAÇÕES ILEGAIS

Os envolvidos no esquema fraudulento atuavam como instituição financeira, realizando simulações de operações de crédito sem autorização legal. “A intenção real, desde o início da contratação, era apenas a obtenção do valor da entrada. Após o recebimento da vantagem ilícita, simplesmente deixavam os consumidores a sua própria sorte”.

Eles protelavam a entrega do bem, alegando que a culpa pela não contemplação era da “matriz nacional”, ou seja, Alpha Bank Consórcio. Passavam a não responder mais as mensagens dos consumidores, ao ponto deles solicitarem desistência dos contratos, por meio de formulário específico, prevendo espera obrigatória de 220 meses para devolução dos valores, com exigência dos descontos legalmente previstos.

Câmara de São Luís realiza audiência pública da CPI do Transporte nesta quinta-feira 

Câmara de São Luís realiza audiência pública da CPI do Transporte nesta quinta-feira.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara de São Luís, que investiga possíveis irregularidades na gestão do transporte público da capital maranhense, realizará audiência pública, nesta quinta-feira (09), às 14h, no plenário do legislativo municipal.

O objetivo da audiência é ouvir todos os segmentos envolvidos no sistema para identificar os problemas e apontar soluções. O encontro será transmitido pelo canal “camaraslz” disponível no YouTube e site da Câmara – www.camara.slz.br – onde o público pode enviar sugestões online. O debate será conduzido pelo presidente do colegiado, vereador Chico Carvalho (Avante).

Entre os convidados para debater a questão estão à promotora Lítia Cavalcanti, titular da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de São Luís, representando o Ministério Público do Maranhão (MP-MA); o presidente da Comissão de Direito do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Maranhão (OAB/MA), Rosinaldo Francisco Alvino Mendes; e o secretário municipal de Trânsito e Transportes, Diego Baluz, representando a Prefeitura de São Luís.

A lista de convidados inclui ainda o presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), Celso Henrique Borgneth, representando o Governo do Estado; o secretário de Fiscalização do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA), Fábio Alex de Melo; o presidente da Câmara de São Luís, Osmar Filho (PDT); os chefes dos Legislativos de Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar, além dos prefeitos destas cidades.

O presidente do Sindicato dos Usuários de Transporte Coletivo Rodoviário, Hidroviário, Aéreo do Estado do Maranhão (SINDUTCOL-MA), Paulo Henrique da Silva; o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (SET), Jorgelle Maria Rezende Matos Freitas; e o presidente da Cooperativa de Táxi e Transporte Alternativo da Área Itaqui-Bacanga (Coopertaaib), Charles Teixeira, completam a relação de convidados.

De acordo com o secretário da CPI, vereador Octávio Soeiro (Podemos), a intenção é ouvir todos os segmentos envolvidos no sistema para identificar os problemas e apontar soluções. “Será uma grande audiência pública com a sociedade civil organizada e as entidades representativas visando ouvir os anseios da população”, declarou.

Segundo o parlamentar, motoristas, cobradores, usuários do serviço, especialistas e demais envolvidos também devem ser ouvidos durante o evento. Além disso, ele

destacou que o encaminhamento do encontro será anexado ao relatório do colegiado.

A audiência deve ocorrer quinze dias após o relator Álvaro Pires (PMN) apresentar a minuta do relatório das investigações aos demais parlamentares que integram o colegiado.  O documento, com 143 páginas, representa a conclusão de mais de seis meses de investigações.

“Nestes seis meses de atuação, os integrantes da comissão realizaram diligências, oitivas, visitas técnicas e análise de documentos com muita seriedade, ética e comprometimento, a fim de entregar um trabalho de excelência à população e aos órgãos competentes. Depois da audiência pública, definitivamente iremos encerrar a CPI, depois do dia 16, apresentando sugestões para o Executivo municipal e encaminhando o relatório conclusivo para o Ministério Público que pode decidir inclusive pelo desdobramento das investigações em outras instâncias”, explicou o relator.

SERVIÇO

O quê? Audiência pública da CPI para debater irregularidades no serviço de transporte coletivo.

Quando? Nesta quinta-feira, dia 09 de junho.

Horário? A partir das 14h.

Onde? Plenário da Câmara Municipal de São Luís.

Lula e Bolsonaro estão tecnicamente empatados, diz pesquisa 

Veja.com

O presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estão tecnicamente empatados em todos os cenários de pesquisa do instituto Gerp. O levantamento foi divulgado nesta segunda-feira (6).

O empate técnico ocorre tanto nos cenários estimulados, quando nomes são apresentados, quanto na pesquisa espontânea, em que não são sugeridos candidatos. A Gerp ouviu 2.095 eleitores em todas as regiões do país entre 30 de maio e 3 de junho.

A margem de erro é de 2,13 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00123/2022. Veja a seguir os cenários.

Primeiro cenário induzido (quando são apresentados os nomes dos candidatos)

Lula (PT): 39%
Bolsonaro (PL): 37%
Ciro Gomes (PDT): 7%
André Janones (Avante): 3%
Michel Temer (MDB) 2%
Simone Tebet (MDB): 2%
Leonardo Péricles (UP): 1%
Não votariam em nenhum candidato: 4%
Não sabem ou não quiseram responder: 5%
Os demais candidatos não atingiram 1% das intenções de voto

Segundo cenário induzido (quando são apresentados os nomes dos candidatos)

Lula (PT): 39%
Bolsonaro (PL): 37%
Ciro Gomes (PDT): 8%
André Janones (Avante): 3%
Simone Tebet (MDB): 2%
Leonardo Péricles (UP): 1%
Não votariam em nenhum candidato: 4%
Não sabem ou não quiseram responder: 6%
Os demais candidatos não atingiram 1% das intenções de voto

Cenário espontâneo (quando não são apresentados os nomes dos candidatos)

Bolsonaro (PL): 31%
Lula (PT): 28%
Ciro Gomes (PDT): 1%
Não votariam em nenhum candidato: 1%
Não sabem ou não quiseram responder: 39%
Os demais candidatos não atingiram 1% das intenções de voto

Rejeição aos candidatos à Presidência

Bolsonaro (PL): 49%
Lula (PT): 43%
Michel Temer (MDB): 19%
Ciro Gomes (PDT): 14%
Luciano Bivar (UB): 7%
Simone Tebet (MDB): 7%
Pablo Marçal (Pros): 7%
Vera Lúcia (PSTU): 7%
José Maria Eymael (DC): 6%
Felipe D’Avila (Novo): 6%
André Janones (Avante): 6%
Leonardo Péricles (UP): 6%
Sofia Manzano (PCB): 5%
Não votariam em nenhum candidato: 2%
Não sabem ou não quiseram responder: 2%
Votaria em qualquer um deles: 1%

Page 1 of 349

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén