Maldine Vieira

Poder e Cotidiano

Golpes em locadoras de veículos e agiotagem financiaram campanha de deputado federal maranhense

Diego Figueiredo – de azul – motorista e braço direito do parlamentar, Josival Cavalcanti – um dos agiotas que pegava os carros, e Júnior Lourenço – deputado e principal beneficiário no esquema.

Documentos enviados anonimamente ao Blog do Maldine Vieira na última quinta-feira (08), revelam detalhes obscuros sobre a campanha milionária do deputado federal maranhense Júnior Lourenço (PL).

O parlamentar foi eleito em outubro último com expressiva votação de 117 mil votos pelo antigo partido republicano (PR), hoje partido liberal (PL). Para esse feito ele teria gasto cerca de R$ 50 milhões através de doações legais e, em sua maioria, via caixa dois.

Atrás da gigantesca estrutura de campanha no entanto, escondia-se diversos crimes que tinham uma única finalidade: levantar o máximo de dinheiro possível para irrigar a campanha do hoje deputado federal e ex-prefeito da cidade de Miranda do Norte, Júnior Lourenço.

No centro desse escândalo digno de uma Operação Lava Jato, estar os irmãos Diego Freitas Figueiredo – motorista e laranja de Lourenço, Thiago Freitas Figueiredo, Josival Cavalcanti da Silva, o “Pacovan” – maior agiota do Maranhão, e, é claro, José Lourenço Bonfim Júnior, o Jr. Lourenço.

O ESQUEMA

Os golpes aplicados em locadoras de São Luís para levantar dinheiro de maneira rápida para irrigar a campanha do ex-prefeito funcionava da seguinte forma: Diego Figueiredo alugava carros em locadoras no próprio nome e em nome de terceiros, e assim que estava de posse dos veículos entrava em contato com o agiota Pacovan para deixar os carros em troca de quantias em dinheiro.

AS VÍTIMAS

Documentos enviados ao blog revelam que pelo menos duas locadoras foram vítimas do braço direito do parlamentar maranhense. A LocaSempre Rent a Car, localizada no bairro do Calhau, e a locadora Localiza, tiveram juntas cerca de 7 carros deixados de maneira criminosa na posse do agiota Josival Cavalcanti. Mas não para por aí. Empresários do ramo de compra e venda de carros também foram vítimas da quadrilha. Um deles por exemplo, teve prejuízo de quase R$ 200 mil ao colocar uma Mercedes Benz e um SUV Vera Cruz nas mãos de Diego Figueiredo. Procurado o blog, o empresário – que não quis ter sua identidade revelada, afirmou que os veículos foram deixados nas mãos de agiotas durante a campanha e nunca mais recuperados.

OS LARANJAS

Assim que passava o dia de fazer a entrega do veículo alugado, as empresas entravam em contato com o responsável pelo aluguel para obter informações. Mas, os laranjas no esquema não sabiam sequer o paradeiro dos veículos, uma vez que assim que saiam do pátio das locadoras eram entregues ao motorista de Lourenço.

Em prints de conversas via Whatsapp, um dos laranjas, identificado como Hugo LekleK, diz a Diego que um ‘cara’ da empresa estava falando com sua mãe, e que o tal teria dito que ele ia ser preso caso não devolvesse o veículo.

“O cara está falando com a minha mãe, ele já meteu pra ela que vou ser preso e os Karalhos” diz Hugo.

Para acalmar o jovem, Diego então afirma: “Vai não, q vou resolver isso”.

VEÍCULO LOCADO ÀS VÉSPERAS ELEIÇÃO

Pelo menos um dos veículos que ficaram sob o poder do agiota Pacovan foi locado às vésperas da eleição do dia 7 de outubro de 2018. Conforme dados da ficha cadastral da empresa Localiza, um veículo modelo SANDERO foi alugado no dia 5 de outubro às 15:30h, exatamente dois dias antes da eleição que colocaria o ex-prefeito entre os deputados federais mais bem votados do Estado.

O veículo foi locado em nome de Hugo Penha Rocha – possivelmente o mesmo Hugo ‘Leklek’, por cerca de um mês, com diária de R$ 108,00 reais. O carro deveria ser entregue no dia 4 do novembro, o que não aconteceu.

Passado alguns dias tentando conseguir o veículo, um representante da empresa teria mandado mensagem via Whatsapp dizendo: “Boa tarde Hugo, amigo preciso que o veículo seja devolvido até sexta-feira. Fiz contato com Sebastião que he gerente da LOCALIZA e não existiu acordo algum com a locadora. Se passar de sexta-feira vou fechar meu relatório e vamos pedir busca e apreensão do veículo”.

CARROS SÃO RESGATADOS COM AJUDA DA POLÍCIA

Três dos carros da locadora Locasempre Rent a Car que estavam empenhados com o agiota, foram resgatados pelo dono da empresa com ajuda da polícia. Segundo informações obtidas pelo blog, o dono conseguiu localizar os veículos, mas, pacovan se recusava de todas as formas entrega-los sem antes receber o dinheiro que havia emprestado na negociata. Entretanto, com ajuda de um aparato policial, o empresário conseguiu fazer o resgate.

GOLPE VIROU PAUTA NACIONAL

Em maio deste ano os golpes em locadoras de veículos ganharam às manchetes na mídia nacional. De acordo com as reportagens, o golpe se espalhou por diversos estados do Brasil por ter uma brecha na lei que não enquadra o ato como furto e, sim, como apropriação indébita.

A maneira de agir dos golpistas em outros Estados era exatamente a mesma praticada pelo motorista de Júnior Lourenço durante a campanha: o golpista ou um laranja alugava o carro, não devolvia e se aproveita da brecha que não considera isso roubo ou furto, e conseguia fazer o que bem entendesse com os veículos.

O programa fantástico, da rede globo, exibiu uma reportagem completa dando detalhes do esquema que se alastrou pelo Brasil, VEJA AQUI.

PONTA DO ICEBERG

Apesar dos fato mostrados na matéria revelarem uma parte do lado obscuro da campanha do parlamentar maranhense, esse pode ser apenas a ponta do iceberg. Fotos, áudios, conversas via Whatsapp, protesto de dívidas, podem colocar a reputação do deputado federal num mar de lama. O Blog do Maldine Vieira publicará nas próximas matérias mais detalhes sobre os fatos até então desconhecidos sobre a campanha eleitoral que cuminol na vitória de Lourenço nas urnas, É AGUARDAR.

Anteriores

Roberto Costa destaca parceria entre governo e Prefeitura de Bacabal em prol de melhorias no abastecimento de água

Próximo

EMSERH Prepara demissões em massa no hospital regional de Carutapera

  1. Djalma Filho

    Nosso escritório de advocacia já está executando parte dessa conta, inclusive pq os contratos, promissórias e confissões de dívida estão devidamente regulares. De irregular, a falta de pagamento devido. Somente em meu poder existe débito reconhecido de mais de um milhão de reais (1.471m, p ser preciso), mas tbem existem diligências outras para identificar as ramificações dos envolvidos nessas práticas odientas e nocivas, notadamente nos órgãos públicos onde há obras inacabadas, superfaturadas, ou não realizadas. Os órgãos de fiscalização estão todos a caminho, ou já estiveram em algumas dessas cidades onde os beneficiários são parte da grande trama do desvio do dinheiro público em benefício particular. Posso ajudar o nobre jornalista com o envio de documentos, comprovando grande parte do que está acima descrito, e, além disso (e muito mais grave!) há outras situações de intensa ilegalidade que jamais foram escritas, mas que demonstram a ousadia dos malfeitores. A justiça definirá as autorias e materialidade dos crimes, especialmente quem é, quem fez, o que fez, qto deve e a quem – dentre outras coisas. Eu mesmo já recebi ameaça velada de um desses envolvidos, a ocorrência policial confirma o fato, mas a polícia tem tudo sob controle. Eu tbem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén