Passado as eleições 2016, quando desistiu de disputar sua reeleição e partiu para disputa rumo à prefeitura de São Luís, o ex-vereador Fábio Rogério Barbosa Câmara passou enfrentar duras críticas pelo eleitorado ludovicense.

Naquela época, especulou-se que o ex-vereador teria se ‘vendido’ ao prefeito Edvaldo Holanda Jr, o que causou um grande ‘reboliço’ na cidade, uma vez que Câmara passou quatro anos de mandato fazendo dura oposição ao prefeito.

Depois do triste episodio, Fábio caiu num verdadeiro mar de esquecimento pela classe política e pelo próprio eleitorado.

Tempos depois, FC passou se articular dentro do Movimento Democrático Brasileiros (MDB) para conseguir novamente espaço no meio político. Para isso, Câmara contou com ajuda do deputado federal e então companheiro de partido Hildo Rocha (MDB).

Daí pra frente, Hildo ‘pegou na mão’ do ex-vereador e o levou para Brasília.

Entre uma viagem e outra, Câmara passou se dedicar a projetos de implementação em comunidades quilombolas.

Sempre ao lado do deputado, Fábio passou pleitear um espaço na Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), Órgão responsável por coordenar e executar a Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas.

Depois de intensa batalha dentro do então partido, no dia 20 de abril de 2018, o instituto controlado pelo ex-vereador foi um dos selecionados para gerenciar serviços complementares na área de atenção à saúde indígena.

A entidade foi selecionada para gerenciar a saúde do Distrito Sanitário Especial Indígena Guamá Tocantins (DSEI GUATOC), que abrange mais de 17 municípios, e dois estados.

Para tanto, milhões são destinados mensalmente aos cofres do instituto. Segundo apurou o blog do maldine vieira, pelo menos 30 milhões já foram repassados aos cofres da entidade.

Depois de atravessar um deserto, hoje o ex-vereador tem motivos de sobra para sorrir…